O Tecer Mundo foi criado para ser pessoal, mas naturalmente se transformou em um espaço com uma função coletiva: mostrar que é possível tomar atitudes mais "verdes" todos os dias. O desafio, copiado de um outro blog, é tentar colocar em prática a cada dia, ações sustentáveis. Coisas que muitas vezes ficam só no pensamento ou no discurso.
É o velho e bom "faça sua parte". Sejam bem vindos!

*criado em junho/2010

25.11.13

CONSUMO ALTERNATIVO E CONSCIENTE





Aí que você se deparar com uma ideia que sempre esteve na sua cabeça sendo espalhada por pessoas que você gosta e admira, é pra deixar qualquer um, minimamente feliz!
Andrea May, artista visual e ativista de uma vida mais consciente (e, disculpaê: minha amiga! arham!) transformou a urgência da mudança de comportamento e consumo em mais um evento hypado e de sucesso. 
MARAVILHA!!!

Esperamos vocês, PERMUTANTES, para esse TROCADILHO!

"A mudança começa em cada um de nós, na forma como pensamos e agimos. As possibilidades são inúmeras quando se trata de controle do consumismo exacerbado, por exemplo: estimular a auto-produção, a compra consciente e, principalmente, a troca."

O consumo colaborativo pode entrar por todas as áreas, inclusive pela arte! Não percam!


http://trocadilhosalvador.blogspot.com.br/



24.11.13

*86º - Um carro a menos

É outra coisa que já tem um tempo que foi decidida mas, rolou uma dificuldade de desapegar....
Eu AMO dirigir. É fato. Tirei minha carteira com 18 anos e depois disso nunca mais quis largar o volante. Não gosto do trânsito. Gosto da direção, principalmente de estrada. De toda a concentração que exige, da habilidade motora, sei lá...do conforto mesmo, enfim.
Fato é, que não há mais espaço pra isso. Finalmente vendi o Zé (era o nome do meu cliozinho que me levou pra tantos lugares). E eis que, agora, vem a era das duas rodinhas.
Agora estou animada por ser menos um carro nas ruas!
Que venha a magrela!

*85º - "Eat no Meat"




É...isso nem é uma novidade. Já fazem 6 meses, mais ou menos, que decidi parar de uma vez de comer carne. Já caminhava num processo de redução de consumo, principalmente de carne bovina e aves.
Sem uma filosofia embasando nada! Só baseada nos processos de produção desses como alimento.
Deixei primeiro de comprar e finalmente, deixei de consumir.
O impacto causado pela indústria da carne vai além da crueldade da produção, criação, abate desses animais. Fere todo um sistema de sobrevivência da biodiversidade.
A criação de animais é um grande fator de impacto ambiental: 
- 70% dos grãos plantados nos EUA são usados para alimentar os animais e não o ser humano. E 33% no mundo todo.
- Gasta-se de 4Kg a 14Kg de grãos (em ração) para produzir 0,5Kg de carne e somente cerca de 35 a 40% do peso total do boi é aproveitado como carne para as pessoas. A maior parte não é utilizada.
Há também a questão da Amazônia e da biodiversidade. O consumo de carne afeta países como o Brasil, pois os EUA precisam de mais e mais hambúrgueres, contribuindo para a destruição das florestas. A floresta é destruída para a criação de gado ou para o plantio de grãos como soja que vão servir de ração para o gado.
É um processo devastador. Ruralistas, grandes fazendeiros, produtores de gado e aves são os principais "predadores" do que nos resta de mata original. Com isso, a destruição da biodiversidade é contínua e não. Não há como fazer essa compensação (e sim, isso também vale para os grande produtores de grãos, vegetais, etc. Por isso, consumir a produção dos pequenos produtores locais é o ideal).
Muitas coisas vão surgindo no caminho. Você presta muito mais atenção no que vai para o seu prato. Começa a comer mais em casa e com isso cozinhar mais e aprender coisas novas. Começa a prestar mais atenção de onde vem o alimento que você anda consumindo.
Dorme beeeem melhor (a carne demora muito tempo pra ser processada pelo organismo).
Eu ainda consumo leite, ovos e "carne do mar" (como diz um amigo meu). 
Mas, tento sempre comprá-los de produtores locais (tem um pescador que passa na porta da minha casa! Luxo!).



*alguns dados foram Copy+Paste do http://www.svb.org.br/, porque não sabia desses números!