O Tecer Mundo foi criado para ser pessoal, mas naturalmente se transformou em um espaço com uma função coletiva: mostrar que é possível tomar atitudes mais "verdes" todos os dias. O desafio, copiado de um outro blog, é tentar colocar em prática a cada dia, ações sustentáveis. Coisas que muitas vezes ficam só no pensamento ou no discurso.
É o velho e bom "faça sua parte". Sejam bem vindos!

*criado em junho/2010

29.3.16

*107º - Sem besteira!

Eu ando cá pensando que, o primeiro passo pra simplificar, é perder todo e qualquer tipo de preconceito estético bobo.
Essa história de "deus me deu bom gosto mas, não me deu dinheiro"...isso na verdade é só um reflexo do que enfiam todo santo dia do que é ou não é bonito.
Pois bem, comecei a enxergar antes de tudo, a funcionalidade das coisas, depoooois fui em busca até da belezinha delas.
Perdendo o preconceito de que o que é reciclado, reusado, tem menos valor porque é "feio". Esqueça isso!
Aqui na geladeira tem garrafa de suco, leite e vodca, fazendo as vezes de garrafa de água (essas de suco são lindinhas e práticas, porque normalmente tem mais de 1l).
Não compra suco de garrafa, nem bebe vodca? Pede prxs amigxs, vizinhxs guardarem pra você! Essa de Absolut (que eu nunca nem provei na vida) tava indo no lixo da casa de uma amiga. Corri, catei, higienizei e é a garrafa favorita de todo mundo que visita minha casa!
Aumentando a vida útil de algo que já foi produzido e consumido!
;}

3.3.16

*106º - café, café, café!


                                                                                *imagem: pinterest


Depois de muuuuito tempo, finalmente consegui me dar esse presente.
Um luxo pra mim, mas meus sonhos de consumo se limitam a esses luxos! 
O keep cup foi criado por uma cafeteria australiana. O objetivo era acabar com os copos descartáveis de papel ou térmicos pra viagem. Seu primeiro café vinha nesse copinho e a partir daí você levava ele mesmo de volta nas próximas.
Eu, que tenho quase uma compulsão por café, já andava com minha canequinha, pra cima e pra baixo, mas o café tem um aroma marcante, e se misturava com os outros gostos (sucos, etc) que ficavam impregnados no copo e tudo isso. Se não tivesse, geraria uma quantidade de lixo obscena por semana.
E ele tem tampinha que me permite também sair de casa com meu próprio café. E tem aquela braçadeira que protege as mãos do calor do líquido!
Além do que, o keep cup é feito de um material que não libera toxinas do plástico ou isopor quando em contato com o calor.
Ou seja, amor puro e sincero pelo meu auto-presente de aniversário!

*keepcup: o merchant é free e de amor ;}

26.3.15

*105º - Vinagre salva




Morar só tem seus desconfortos, é verdade. Mas, as descobertas são incríveis.
O vaso sanitário entupiu! E agora, comofas?
Liga pra mãe? Chama a samu?
Compra um pote de soda cáustica e aí operação de guerra?
Pois bem, eu descobri que meio litro de água fervendo e meio copo de vinagre resolvem o caso lindamente.
Sem apelar pra nada tão agressivo, seu problema tá resolvido!
Deixa lá uma meia hora e depois dá a descarga.
Tudo volta ao normal...

Substituindo mais um produto químico de limpeza de casa!

9.3.15

*104 - Um ano sem roupa




Veja bem...esse é o plano: Passar os próximos 365 dias sem adquirir uma única peça de roupa nova.
A cada produto consumido, novo, você incentiva e gera uma série importante de impactos. Desde a produção, colorações/clareamentos, fabricação do tecido, lavagens, produção de etiquetas, embalagens, propagandas, transporte e ainda poderia listar mais uns dez itens...
Pois bem, a partir de hoje, usamos o que temos e em último caso, brechós e/ou swap parties!
Pra provar pra mim mesma que o que temos é mais do que suficiente.



Uma leitura rápida dos impactos causados pela indústria têxtil:
http://senteeleianow.blogspot.com.br/2010/09/impactos-ambientais-gerados-pela.html

28.10.14

*103º - Até a última gota


Conheço muita gente que faz aquele esforção pra espremer a pasta de dente até o fim, ou bate o pote de hidratante até que só saia ar. Mas, xô te contar: sempre sobra produto lá dentro. Principalmente nessas embalagens "pump" ou tubo. Pode cortar o fundo que você vai ver.
Se você ainda usa algumas coisas industrializadas, faça isso.
Pra economizar e evitar desperdício.



6.10.14

102 postagens, mais de dois anos e o que mudou?





Tá certo que esse desafio saiu bastaaaante do programado. Seriam 365 dias de mudanças diárias na minha rotina. Aprendendo a reduzir o impacto deixado por mim por aí.
Mas, já se vão mais de 2 anos e eu ainda estou na 101ª mudança.
Fiquei aqui pensando se eu tinha fracassado no meu objetivo.
Descobri que não.
Ao longo desse tempo, fiz algumas muitas novas escolhas. Mudei hábitos, reconstruí e descobri que as coisas vão mudando organicamente com o tempo. Porque a lógica aqui dentro mudou e tudo novo parece vir naturalmente.
Nesses 2 anos, aprendi a me alimentar: parei de comer carnes de produção industrial, deixei de consumir muitos alimentos industrializados, passei a comprar orgânicos e locais. Comecei a cozinhar mais em casa (e descobri uma paixão!), deixei de consumir cosméticos e remédios alopáticos em excesso. Não uso esmaltes (faço as unhas no salão só quando em ocasiões muitos especiais - quase nunca), com isso não consumo acetonas e todos os outros apetrechos. Parei de fazer química no cabelo e corto ele em casa mesmo (emissão de CO2 reduzida!). Reduzi o consumo de leite e derivados, reduzi o consumo de roupas, acessórios e produtos eletrônicos. Não comprei uma cafeteira elétrica nova. Troquei os filtros de papel e guardanapos pelos de tecido. Reutilizei, diariamente, a água excedente do banho para a descarga. Troquei o papel higiênico com 10 mil camadas pelo reciclado e prensado, o saco de lixo plástico pelo origami de jornal. Deixei de comprar água mineral e passei a levar minha garrafinha, utensílios e muitas vezes meu lanche, pra evitar consumir na rua e gerar lixo.
Vendi meu carro. Adotei um gato (e castrei). Fiz minha horta em casa, reduzi o consumo de energia. Substituí produtos de limpeza por produtos caseiros, shampoo e condicionador por vinagre e bicarbonato de sódio, desodorante por leite de magnésio e óleo essencial. Troquei minha pasta de dentes por uma sem flúor, corantes e outros. Troquei o absorvente íntimo pelos de tecido e pelo copinho. Troquei o sabão em pó e o amaciante pela bolinha.
Trabalhei em casa. Plantei um abacateiro. Apaguei as luzes mais cedo e na Hora do Planeta.
Não comprei utensílios novos para minha casa (ganhei, peguei emprestado ou na maioria das vezes reutilizei alguma coisa que iria pro lixo). Não compro presentes em shoppings ou embalagens descartáveis. Aprendi a detestar descartáveis (sempre detestei, na verdade. rs)...
E vou seguindo, sabendo que aprendi muito nesse caminho e vou continuar nele. Aprendendo, Observando. E agindo.
Começando por mim.
Com gratidão,

Juliana

25.8.14

*101º - Esmaltes de baixo impacto

Bom, eu já não era muito adepta de frequentar salões de beleza e sempre tive muita preguiça de fazer as unhas com frequência. Depois de descobri o impacto dos esmaltes na saúde e no meio ambiente (a quantidade de metais pesados como chumbo, além de parabenos, toluenos e outros enos, são grotescas)...aí então eu larguei mesmo de mão (trocadilho involuntário. juro!). A beleza das mãos também pode ser natural!
Rola fazer uma graça de vez em quando mas, não seguindo uma ditadura de beleza industrial.
Além disso, uma coisa que sempre me intrigou: quem usa um esmalte até o final? Ninguém! Ou pelo menos, eu não conheço ninguém que não seja manicure, usar!
Mas, aí veio uma novidade pra quem não consegue viver sem uma corzinha nas mãos, que talvez seja de menor impacto.
Sem querer fazer marketing de empresa mas, quem faz alguma coisa bacana, deve ser divulgado também, né?
A GRANADO lançou uma linha de esmaltes livre de toluenos, parabenos, formaldeído e outros.
Além disso é uma empresa que busca eliminar das fórmulas de seus produtos corantes e fragrâncias artificiais e garante que seus produtos não são testados em animais. Tem cuidado com a produção de embalagens que levam o selo FSC.
São um pouco caros. Mas, eu sou da filosofia que vale o investimento quando você sabe o valor final do produto.
É só repensar: quantos vidrinhos de esmaltes você precisa? Quanto dele, você usa de fato? O excesso de embalagem? A empresa tem responsabilidade pela produção e pelo descarte? Quanto esse produto afeta sua própria saúde?
Enfim. Esse é o meu raciocínio básico de consumo.
#repense


2.7.14

*100º - banho de gato




ÊÊÊ!!! Anoooos depois...chegamos ao centésimo "dia"!!!
E pra esse dia, a postagem é para contar que Sophia, minha filhota felina, ganhou um presentão.
Um shampoo da linha Empório Pet.
Uma linha de produtos para cães e gatos que respeita o meio ambiente! Ó que coisa linda!
Formulados com plantas nativas e de produção nacional.
E acessível no mercado.

*Os gatos não devem tomar banhos frequentes. Consulte o veterinário para saber melhor. Ou seja, esse shampoozinho vai durar até o seu vencimento...ou seja, vale o investimento!;)

31.5.14

*99º - Low poo/No poo e freedom!




Já tem um tempo que eu venho compartilhando informações sobre essa prática.
O "no-poo/low-poo" é uma prática que elimina ou reduz o uso de shampoos para os cabelos. foi adotado por meninas com cabelos cacheados e ondulados como forma de hidratação. Pura e simplesmente por questões estéticas.
Mas, a gente cá, ficou ligadx que era uma forma de substituir shampoos e condicionares (cheirosíssimos, é verdade) bombardeados de parabenos e cocamida DEA, que são componentes químicos nocivos à saúde e ao meio ambiente.
Algumas amigas experimentaram antes. Eu segurei a onda. Esperei meus shampoos acabarem (até porque a ideia aqui está longe de qualquer desperdício) e fiz testes.
Comecei só no vinagre, puro. #fail
O cabelo ficou lindo no primeiro dia, mas no segundo dava pra fritar um ovo!
Diluí o vinagre em um copo d'água (filtrada). #fail
Ainda assim, pra quem tem o cabelo misto e fininho como o meu, não rolou.
Fiz uma solução de bicarbonato de sódio diluído em um copo de água (também filtrada) e usei como primeira solução/shampoo. E o vinagre de maçã diluído, como condicionador.
Aí sim o negócio rolou. A raiz ficou limpinha e o cabelo reluzindo.
E não. Não fica cheiro nenhum, de nada. A não ser o seu cheiro natural.

Aí fica com você. Dá pra diminuir o uso do shampoo ao invés de substituir de vez.
Cabelo limpo, lindo e consciência limpa.

Receita:

Shampoo:
-1 copo americano de água (filtrada);
- 1 col. de sopa de bicarbonato de sódio
Misture bem e coloque num pote de shampoo vazio (recicla, né?). Isso facilita a aplicação.

Massageie por uns dois minutos (não, não faz espuma). Enxágue bem.

Condicionador:
- 1 copo americano de água (filtrada);
- 1 col. de sopa de vinagre de fruta
Misture e despeje num outro pote vazio de shampoo, condicionador, hidratante...

Massageie, principalmente do meio pras pontas, e enxágue bem.

E bejotchau.

*É importante atentar para as dosagens e se puder, consultar um dermatologista antes de começar.


29.5.14

*98º - Faça você mesmo: Chá Gelado




Taí uma bebidinha que eu gosto: chá mate (e de pêssego) gelado.
Mas, aí você vai na prateleira do supermercado e dá de cara com embalagens, rótulos, um bocado de conservantes e outros que sabe lá o que são, açúcar, excesso de CO2 liberado em todo o processo e o preço!
Porque não, então, apelar pro bom e velho mate (eu confesso que comprei um já saborizado com pêssego, até porque nem é época da fruta), e colocar na geladeira!?
É isso! É ridículo assim! Prepara o chá e gela! o.O

Com isso você poupa algumas coisas. Inclusive grana.
Uma caixinha desse chá custa em média R$3,00. Vem 25 saquinhos. Para cada 1,5 de água, você usa 4 sachês. Faz as contas!
E ainda não fica com aquela garrafa PET perdida pela casa sem saber onde jogar.

_ Faça um chá concentrado
_Deixe em infusão alguns minutinhos
_Coloque na jarra e dê um choque térmico com bastante gelo
_Coloque açúcar (mascavo) se preferir mais docinho
_E pra dar um azedinho e um charme, coloque rodelas de limão siciliano para servir